Fale com o Dictas

Quer saber mais sobre o Dictas? Gostaria de entrar em contato com os nossos executivos de venda?
Envie sua mensagem para a nossa equipe


Porque a transformação digital deve ser uma prioridade estratégica para sua Operadora

Transformação digital

Transformação digital gera mudanças na Saúde, otimiza tratamentos, a racionaliza os custos, traz além de tudo, transparência das informações, permite mais acesso a histórico dos beneficiários.

Pesquisa realizada pela Healthcare Information and Management Systems Society (HIMSS) revelou que a transformação digital em saúde é uma prioridade para os gestores de saúde. No entanto, apenas 7% deles têm uma estratégia de saúde digital totalmente executada. 

A diferença entre os gastos em saúde e o PIB aumentou consideravelmente no último meio século, devido ao constante aumento dos gastos com saúde.  No final do ano 2019, a ANS anunciou um novo modelo de reajustes, que promete ser mais coerente com as variações da economia.

O modelo considera a inflação (por meio do IPCA) e o Índice de Valor das Despesas Assistenciais (IVDA). Este, no que lhe concerne, considera: a Variação das Despesas Assistenciais (VDA), a Variação da Receita por Faixa Etária (VFE) e o Fator de Ganhos de Eficiência (FGE). A necessidade de uma gestão eficaz que equacione custos e valores praticados sem impactar na qualidade dos serviços é imprescindível.  

A pesquisa da Bain mostra que a margem de lucro para empresas de análise em saúde é de 21%, e o lucro com soluções digitais de saúde aumentará significativamente nos próximos cinco anos. Empresas de saúde que não empregam tecnologias digitais em sua estratégia de negócios principal correm o risco de ficar para trás e perder participação de mercado para rivais. 

Neste conteúdo, vamos abordar como a  transformação digital contribui para melhorar a gestão de saúde para as operadoras de Saúde. Além de a análise de dados ser a chave para reduzir custos e melhorar a qualidade da prestação de serviços.

Afinal,  o que é “transformação digital”?

As Transformações digitais podem ser definidas por quatro alavancas-chave de valor:  

  • Modelos de negócio (novas formas de operar e novos modelos econômicos);  
  • Conectividade (engajamento em tempo real);  
  • Processos (foco na experiência do cliente, automação e agilidade)  
  • Dados Analíticos (melhor tomada de decisão e cultura de dados)  

Segundo dados da ANS, no Brasil mais de 45 milhões de pessoas se beneficiam da saúde suplementar. Para dar conta desse percentual da população, as operadoras de saúde devem buscar formas de atuação que melhorem seus indicadores de desempenho e reduzam custos operacionais e burocracias. 

Fazer uma análise de dados inteligente, contribuir para criar estratégias eficazes para melhorar a gestão, permite que as operadoras trabalhem com as informações do beneficiário, essa avaliação permite modelos de promoção e prevenção mais eficazes.

 Identifique desperdícios  

Primeiro, é preciso identificar onde realmente estão os custos da operadora. Pois, podem ser identificados repetição de exames e procedimentos desnecessários, fraudes e  até má gestão da saúde básica. 

Sendo assim, por não possuírem todas as informações, ou extração de dados ser muito lenta acabam muitas vezes, não identificando quais são os comportamentos fora do padrão, quais os exames e procedimentos estão sendo realizados sem necessidade e quais são os pacientes que precisam de ações preventivas 

Com as soluções do Dictas é possível aumento da eficácia das equipes de Saúde, tornando a tomada de decisões mais criteriosa possibilitando intervenções em tempo hábil para melhora da saúde e gestão mais assertiva de custos.

Conhecer os custos para ações estratégicas

Conhecer esses pontos podem fazer toda a diferença para a gestão das operadoras de saúde. Com isso, o gestor é capaz de ter um diagnóstico completo sobre onde os custos. Com a análise inteligente dos dados pode inclusive, realizar simulações do potencial de economia de recursos diante da adoção de determinadas ações. 

Imagine, por exemplo, que seja identificado um número elevado de ressonâncias magnéticas em um único hospital. Isso pode significar apenas que há especialidades que exijam esse tipo de exame, o que é perfeitamente aceitável. Em contrapartida, se for possível comparar essa prestação de serviço com hospitais semelhantes e que atendam o mesmo tipo de paciente, pode indicar um mau uso do procedimento. Assim, são situações como esta que acendem um sinal de alerta para uma investigação mais aprofundada. 

É evidente que o modelo de remuneração baseado em valor é justo e necessário. No entanto, para que ele seja de fato eficaz é preciso ter dados capazes de auxiliar na gestão. 

Identificando os verdadeiros gargalos, eliminando os desperdícios e agindo de forma estratégica, todos ganham: população, médicos e operadoras. 

Segurança e Proteção de dados em Saúde  

segurança é primordial na área da saúde. O direito ao sigilo, à privacidade, à autonomia e à dignidade são garantias constitucionais. A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) vem para reforçar a proteção desses dados. 

No âmbito da saúde, essa proteção se torna ainda mais importante, uma vez que cuida de informações confidenciais do paciente, mas, ao mesmo tempo, essenciais para o tratamento assistencial. 

Agência Nacional de Saúde Suplementar (“ANS”), final do ano de 2019 divulgou a Nota Técnica nº 3/2019/GEPIN/DIRAD-DIDES/DIDES (“Nota Técnica”), na qual faz uma breve análise sobre a proteção de dados no âmbito mundial e os principais pontos da Lei brasileira.  

As preocupações com a segurança estão integralmente ligadas à transformação digital. Para progredir digitalmente com sucesso, as organizações de saúde devem estar preparadas para melhorar e inovar na forma como lidam com a segurança dos dados e questões de conformidade.  

A importância da transformação digital  

Uma estratégia da transformação digital requer tanto o planejamento atual quanto o futuro. Combinados, eles articulam os primeiros passos que a organização pode tomar para começar a se mover em uma nova direção. Novas informações, experiência e tecnologia mudarão os planos de 10 a 20 anos muitas vezes. Flexibilidade é a chave.  

O segmento da saúde entendeu que o digital deve se tornar uma parte vital de todo o processo. 

Enquanto os investimentos em redes sociais, em nuvem e análises estão progredindo e agregando valor, os líderes do setor de saúde devem procurar maneiras mais sofisticadas de fornecer serviços como maior assertividade para o paciente nesta nova era. 

Quer saber mais sobre como o Dictas pode ajudar na implementação da transformação digital das operadoras de saúde? Entre em contato conosco! 

Comentários: