Fale com o Dictas

Quer saber mais sobre o Dictas? Gostaria de entrar em contato com os nossos executivos de venda?
Envie sua mensagem para a nossa equipe


Ferramenta de análise de dados para operadoras de planos de saúde: contratar ou internalizar?

Muitas operadoras de planos de saúde já perceberam que ter uma ferramenta de análise de dados voltada à gestão é um recurso que oferece suporte importante para suas decisões. Principalmente diante do desafio crescente de redução de custos assistenciais e desperdícios, junto à necessidade de adoção de medidas capazes de engajar usuários de grupos de risco na prevenção.

O dilema que muitas empresas têm enfrentado, no entanto, diz respeito ao desenvolvimento das soluções em si. Em algumas vezes, pode parecer vantajoso criar algo do zero, com a ideia de customização. Porém, além de não ser o core business da operadora de saúde, essa decisão de desenvolver internamente uma solução acaba sobrecarregando a equipe de TI, já envolvida com muitos processos essenciais à operação e gestão. Será que isso vale à pena?

Por que adotar uma ferramenta de análise de dados para operadoras de saúde é uma questão emergencial?

Antes de pensarmos em um modelo de saúde 4.0, é preciso fazer o básico. No que diz respeito aos planos de saúde, nos deparamos com uma realidade na qual há dados dispersos. Essa dispersão dificulta o acesso e a agilidade. Impacta na dificuldade de se traçar estratégias eficazes para melhorar a gestão e reduzir custos.

Segundo esta reportagem publicada na Folha de São Paulo, o maior erro é não considerar o desfecho, ou seja, o modelo de remuneração baseia-se no número de procedimentos e não na eficácia do tratamento. Assim, saem em desvantagem tanto as operadoras — cada vez mais sobrecarregadas — quanto os pacientes. Estes, tornam-se reféns de um modelo que não prioriza a conclusão positiva do tratamento, mas sua continuidade.

Análise e Predição com Agilidade

A solução já vislumbrada é criar ferramentas inteligentes o bastante para analisar dados e evitar que impasses como esse ocorram. E é justamente nesse ponto que reside a importância de soluções que realizem o cruzamentos de dados, que permitam uma visão do todo.

Tomar para si a responsabilidade de criar um sistema que supra as necessidades de uma gestão complexa é possível. Porém, pode levar tempo e ser frustrante do ponto de vista da eficácia.

Do mesmo modo, contratar soluções de BI nas quais a empresa precisa desenvolver suas visões de indicadores pode levar tempo e elevar os custos. Para uma administração realmente eficaz, uma ferramenta de análise de dados para operadoras de saúde precisa fazer análises preditivas que tragam sentido aos números. Só assim, de fato, torna-se uma gestão datadriven (baseada em dados).

Por isso, muitas operadoras estão enxergando as vantagens de não realizar a tarefa por conta própria. Acabam, assim, optando pela contratação do serviço. Empresas que já tenham expertise e sejam focadas em criar e aperfeiçoar o sistema tendem a trazer resultados mais robustos. Além disso, em menor tempo e com menor custo. Mais vantajoso ainda se esse sistema estiver baseado na nuvem. A seguir, detalhamos algumas vantagens dessa decisão:

Onde e como investir

Ferramentas que tenham a inteligência artificial como base são capazes de cruzar e interpretar dados a ponto de identificar padrões em comum. Por meio desses elementos, é possível mapear, por exemplo, o número de gestantes, doentes crônicos, diabéticos, transplantados, oncológicos, etc. A partir disso, é possível gerar relatórios sobre inconsistências, identificar pontos fora da curva e corrigir erros. Fatores essenciais para se aproveitar oportunidades para mudar estratégias. É algo simples de compreender, mas praticamente impossível de executar sem a ajuda de softwares altamente inteligentes.

Percebendo isso, algumas empresas passaram a utilizar sistemas como ERPs (Enterprises Resource Planning). Porém, apesar de eficientes na captação de dados e geração de relatórios, a interpretação ainda depende dos olhos – e da intuição – humanos. Por isso, são soluções importantes, mas que ainda não são 100% eficazes nos objetivos de redução de custos assistenciais e sinalização de medidas de prevenção necessárias junto aos usuários.

A solução, então, é a adoção de uma ferramenta especialista. É fundamental que seja voltada à gestão das operadoras de saúde, que realize o trabalho complementar ao ERP. É preciso que execute a interpretação dos dados e entregue os resultados aos gestores de forma clara e imediata.

A boa notícia é que esse sistema existe. Além do mais, pode ser contratado via serviço, sem a necessidade de produzi-lo do zero. Por isso, antes de pensar em contratar uma equipe de TI para o desenvolvimento, veja as vantagens de contratar a ferramenta certa ao invés de desenvolver internamente:

Ferramenta de análise de dados para operadoras de saúde: vantagens do SaaS

Já vimos as vantagens em contratar uma ferramenta de análise de dados para operadoras de saúde com foco na gestão. O investimento em tempo e em recursos para desenvolvimento interno pode acarretar em perda de oportunidades e de dinheiro. Além disso, somente uma solução especializada em operadoras de planos de saúde é capaz de fornecer insights para a boa gestão. Agora, veremos as vantagens de optar por um sistema em nuvem:

Custos de Aquisição e Manutenção

Softwares que não usam o modelo SaaS (Software as a Service) precisam de um investimento inicial mais alto. Além do licenciamento, que geralmente representa um montante expressivo, é necessário uma estrutura interna bastante robusta. Dependendo do software escolhido, pode ser que sua empresa precise adquirir equipamentos. Eles podem ser necessários para a operação do sistema em si e para o armazenamento de dados.

Mesmo que o contrato seja feito em forma de locação, ou seja, a empresa não adquire a estrutura e sim o serviço, um software com operação local exige investimentos. São gastos com manutenção, espaço físico, climatização, profissionais, etc.

Com o sistema em nuvem, isso é totalmente dispensável. Todos os dados ficam armazenados em um sistema remoto, fornecido pela empresa prestadora do serviço e monitorado continuamente. Além dos custos iniciais e de manutenção, isso elimina preocupações relacionadas à atualização da tecnologia. Essa tarefa fica a cargo da empresa contratada.

Flexibilidade

Muitas empresas compram o software como produto ou serviço de locação e toda a estrutura que vem com ele. Porém, depois se arrependem ao perceber que não se encaixava de forma plena no seu modelo de negócio. Uma ferramenta de análise de dados para operadoras de planos de saúde, no modelo SaaS, não tem esse problema. Isso porque não há a necessidade de se comprar equipamentos dedicados à tarefa ou um investimento inicial envolvido. O contrato pode ser rompido, reduzido ou ampliado, sem grandes esforços ou prejuízos.

Tempo de Desenvolvimento

Se a opção for pelo desenvolvimento interno da ferramenta, isso pode levar tempo. Por mais que possa parecer vantajoso, já que o sistema será desenvolvido especificamente para uma só realidade, a robustez do resultado não será tão significativa quanto a de uma empresa que dedica-se exclusivamente a desenvolver sistemas voltados para o mercado de operadoras de planos de saúde e que está constantemente aperfeiçoando o serviço.

Dessa maneira, a opção por uma ferramenta de análise de dados para operadoras de saúde no modelo SaaS torna-se muito mais vantajosa. Existem soluções no mercado especializadas em analisar os dados das operadoras e fornecer insights fundamentais para a redução de custos assistenciais e para a adoção de medidas de prevenção junto aos usuários. Uma delas é o Dictas, da Softplan.

Ficou alguma dúvida? Entre em contato conosco!

 

 

Comentários: